Frases para pensar


No dia em que eu temer, hei de confiar em ti. Salmos 56:3

segunda-feira, 12 de abril de 2010

O PÃO PARTIDO ENTRE IRMÃOS


 
 
Ontem, domingo, dia 11 de abril, foi um dia muito especial na Sara Nossa Terra da Barra da Tijuca. Nois dois cultos realizados (manhã e noite) celebramos a Ceia do Senhor. E para mim foi um dia de alegria especial e conquista.

Por vários anos tenho buscado a oportunidade de revitalizar esta celebração memorial. Nossas igrejas se afastaram muito do modelo neotestamentário de Ceia - esquecendo que a memória era celebrada em meio ao "deipnon" da igreja - a refeição completa que os irmãos compartilhavam entre si. Neste domingo rearranjamos as cadeiras em pequenos círculos com 10 a 15 cadeiras. Me faz lembrar o dia da multiplicação dos pães: coloque-os sentados em pequenos grupos.

Nas mesas colocamos uma refeição: pães, pastas e sucos. Não foi comida por questões logísticas, mas serviu ao propósito de comermos algo juntos. Nos grupos as pessoas se apresentavam quando não se conheciam bem; oraram uns pelos outros; choraram juntos e comeram juntos em muita comunhão.

Em dado momento, "enquanto comiam a ceia", como está nos evangelhos, interrompemos a Ceia e rememoramos a Nova Aliança: o pão foi partido na hora de comer e não como tem sido tradição servido em pedaços pequeninos. Num clima de muita alegria e celebração comemos o pão partido e o suco de uvas que um dia foram moídas. Lembrança viva de quem estava à mesa conosco, de quem nos convidou ao banquete.

Meditação - o pão partido refletindo e relembrando algumas verdades:
- A Cruz - morte e ressurreição que nos devolve vida (João 12.24).
- A unidade do Corpo de Cristo, pois partimos o pão e o dividimos em amor com todos. Sem distinções.
- A humildade de servo de Cristo, que nos convida à mesa, entrega sua carne e sangue por nós, não esqueça de antes de tudo inclinar-se e lavar nossos pés.
- Memória viva de quem somos em Cristo, nossa identidade
- Nossa nova vida entregue por Cristo
- E nosso compromisso de vida com Ele - refulgir como luz num mundo em degradação e trevas.

Foi uma Ceia memorável. Uma experiência curadora e restauradora para muitos. Uma revitalização da vida do evangelho quebrando paradigmas de nossa organizada vida de costumes religiosos. Louvamos ao Senhor pelo acontecido. O Cordeiro está entre nós. Espero e esperamos por outras vezes em que comamos o pão partido outra vez - assim, com vida, com energia do Espírito, com comunhão verdadeira.

Graça e paz, sempre.
Marcus Vinicius, servo inútil.

Um comentário:

Margareth Borges disse...

Agradeço ao Senhor por inspirar homens a realizar uma ação natural que creio como uma grande representação espiritual.

Este foi um momento impar para mim e creio para nossa igreja.

Louvado seja Deus que Ele possa continuar nos usando para unir, somar e multiplicar, creio ser este o propósito do evengelho de Cristo Jesus.

Margareth Borges
margareth@newhosp.com.br

Ps. O site e os e-mail da Bright estão fora do ar, pois estamos passando por um processo de revitalização.

Origem dos meus visitantes

Visitantes por países

free counters

FeedBurner FeedCount

LIVROS MARAVILHOSOS (meus preferidos)

  • A Maldição do Cristo Genérico - E. Peterson
  • A Serpente do Paraíso - Lutzer
  • Alma Sobrevivente - P. Yancey
  • Anseio Furioso de Deus - Brennan Manning
  • Chega de Regras - L. Crabb
  • Confiança Cega - B. Manning
  • Evangelho Maltrapilho - B. Maning
  • Igreja Orgânica - N. Cole
  • Maravilhosa Graça - P. Yancey
  • O Anseio Furioso de Deus - B. Manning
  • O Caçador de Pipas
  • O Impostor que Habita em mim - B. Maning
  • Reformissão - M. Driscoll
  • Reimaginando a Igreja - F. Viola
  • Sonhos Despedaçados - L. Crabb
  • Ânimo (Corra com os cavalos) - Eugene Peterson