Frases para pensar


No dia em que eu temer, hei de confiar em ti. Salmos 56:3

quarta-feira, 28 de abril de 2010

ANO DE ELEIÇÕES, POLÍTICOS NAS IGREJAS

Apesar de concordar em tese com a idéia de representatividade cristã, não voto em alguém só por ser evangélico (a). A história recente de evangélicos no poder destrói o Reino, envergonha a causa, tripudia de valores. Sou a favor de ensinar valores éticos (não somente políticos) aos cristãos. E que eles sejam livres para decidir.



Nossos jovens precisam entender de cidadania, de causa, de vida em sociedade, do valor do ser humano acima das coisas, que dar jeitinho não é papel de gente séria, especialmente de cristãos. Que determinados acordos devem ser rejeitados com um sonoro não. Que não estamos aqui como Faustos prontos a vender a alma por pedaço de pão, ou uma camiseta ou cesta básica.

Que se não faremos isto, não concordaremos que políticos façam também. Especialmente se eles se dizem cristãos. Que igrejas não podem ser seduzidas por milheiros de tijolos ou latas de tinta. Que desejamos, isto sim, justiça entre os homens, uma sociedade humanizada por homens que reconhecem que nada são e nada podem, mas que existe um Juiz acima de tudo e todos.

Que educação não pode ser privilégio de poucos, de ricos, ou de  minorias somente. Que nossos filhos precisam sair de casa pela manhã e voltar para casa, livres de balas perdidas ou achadas. Que política é coisa séria sim, então deve ser tratada seriamente e não como trampolim para causas nem sempre nobres. Queremos que se saiba que não conseguimos acreditar em gente que entra para a política dono de um apartamento financiado e em menos de 4 anos de mandato é dono de empresas, frotas de veículos, mansões, etc. Mesmo que seja cristão, que não nos diga que isto aconteceu de forma honesta - não iremos acreditar.

Então, eu digo, não me peça seu voto porque você é evangélico. Peça se você for gente, gente que nem eu, gente que vive na luta, que não se entrega e não se vende. E quem quiser se juntar a este manifesto, seja bem vindo.

Graça e paz, verdade e justiça, sempre.

Marcus Vinicius

4 comentários:

Dr. Thiago disse...

Muito bacana o texto, Marcus. O ideal seria ter um representante pol... Ver maisítico que conjugasse o cristianismo e a honestidade. Aliás, será que dá para desvincular o cristianismo da honestidade, da decência e da moralidade? Exigir que um cristão reúna essas características é a prova de que já passou a ser comum o fato do evangelho ser usado por muitos como estratégia para manipular mentes de eleitores que chegam a imaginar que votar num evangélico é colocar, garantidamente, um ungido de Deus no poder ou que o contrário é pecado. Esse é o problema: os falsos líderes sabem que o povo já é perecedor por falta de conhecimento e exploram essas ferramentas de manipulação. O resultado disso nós já conhecemos: às vésperas das eleições, surgem inúmeros candidatos dizendo que querem um mandato porque foram escolhidos por Deus para mudar o País, sendo que, ao final desses mandatos, sua atividade política foi insignificante para o povo, mas não para ele, que costuma alcançar inúmeros benefícios para si, sua família e apadrinhados (concessões de rádio e TV, utilização indevida de verbas indenizatórias e de passagens aéreas, nomeação de pessoas incompetentes para trabalhar em seus gabinetes, contratação de serviços prestados por familiares, etc). E o pior é que muitas vezes isso tudo está debaixo de nossos olhos, dentro da nossa própria congregação! Diante de tudo isso, fica a pergunta: vale a pena votar num evangélico pelo simples fato dele exercer a mesma fé ou deixá-lo, antes, exercer a sua fé para que, depois, possamos avaliar os seus frutos (e, portanto, a árvore de onde vieram)?

Leo Arena Barra disse...

Ótimo texto Pr Marcus Vinicius... Se é para votar em políticos evangélicos que ajudam a manchar a imagem do povo Cristão é melhor que continuem os políticos do munto. É tempo de se levantarem homens de Deus que vão lutar pela causa e não vende-la!!!

Vania disse...

Pastor. Texto maravilhoso. Temos que começar a ensinar aos nossos filhos os verdadeiros valores; dignidade, respeito ao próximo, caráter, honestidade; são vários adjetivos que não podemos adjetivar aos nossos políticos. Aos nossos jovens temos que ensinar, temos que dar exemplos, não se aprende sem ensinamentos e devemos ser o espelho, aquilo que somos, serão nossos filhos, não haverá oportunidade de acordos, nem vendas de almas, ou seja, trocas. Deus não permite trocas, não vendemos nossas almas a ninguém. Temos que estar prontos para educar nossos filhos. Infelizmente a política de Educação é baseada em ideologias para crescer o valor de determinados políticos e não em relação à população carente ou não carente. É difícil, pastor, acreditar que um dia haverá políticos honestos, porque não há advogaos honestos, nem médicos honestos, enfermeiros honestos, cientistas honestos e por aí vai... Nossos filhos serão os homens de amanhã.
Paz e Amor
Vânia Soares

Paulino Arena Barra disse...

Muito bom texto...
Tem evangélicos políticos que acham nós cristão temos que votar neles por causa da religião ou algo do tipo.
Temos que analisar antes de votar em qualquer um.

Origem dos meus visitantes

Visitantes por países

free counters

FeedBurner FeedCount

LIVROS MARAVILHOSOS (meus preferidos)

  • A Maldição do Cristo Genérico - E. Peterson
  • A Serpente do Paraíso - Lutzer
  • Alma Sobrevivente - P. Yancey
  • Anseio Furioso de Deus - Brennan Manning
  • Chega de Regras - L. Crabb
  • Confiança Cega - B. Manning
  • Evangelho Maltrapilho - B. Maning
  • Igreja Orgânica - N. Cole
  • Maravilhosa Graça - P. Yancey
  • O Anseio Furioso de Deus - B. Manning
  • O Caçador de Pipas
  • O Impostor que Habita em mim - B. Maning
  • Reformissão - M. Driscoll
  • Reimaginando a Igreja - F. Viola
  • Sonhos Despedaçados - L. Crabb
  • Ânimo (Corra com os cavalos) - Eugene Peterson