Frases para pensar


No dia em que eu temer, hei de confiar em ti. Salmos 56:3

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Uma palavra aos "desigrejados"




Na blogosfera esta semana um assunto em pauta: "os desigrejados", termo que eu ainda não conhecia e que apareceu num blog que gosto muito. Fiz dois comentários lá, mas quero me atrever aqui a escrever um pouco mais. Sem a pretensão de saber tudo.

Como comentei em um dos post's fiz uma viagem recente por três livros sobre igreja: Igreja Orgânica, Reimaginando a Igreja e Reformissão. Cada um tratando o assunto vida da igreja e existência da igreja de um ponto de vista diferente. Todos preocupados com o que vive a igreja hoje. Esta viagem me ajudou a equilibrar ânimos e desânimos referentes a igreja. Então vamos lá.
> Em primeiro lugar discordo do termo "desigrejados". Por quê? Termos paralelos aparecem, tais como: movimento dos sem igreja; filhos bastardos da igreja, etc. No mínimo acho pretensiosa tal denominação, pois carece de significado histórico. Ou será que os que assim apupam a seus irmãos esquecem que os cristãos eram "Haeresis" do judaismo? Há que se separar pessoas frustradas com o hiper-dogmatismo institucional de pessoas rebeldes e insubmissas.

> Em segundo lugar definir que todos os que "saem" da igreja (instituição) deixaram a Igreja (assembléia dos salvos) é no mínimo confusão de informação. Especialmente se ao dizer isto, quem diz afirma que tais que saíram o fizeram ou porque estão em pecado e não querem ser confrontados; ou porque desejam construir um mundo paralelo, uma Matrix eclesiológica. Esquecimento histórico 2: quase todas as igrejas livres que existem são acusadas de serem facções de denominações históricas (rebeldes também?). Algumas são facções das novas facções.

> Em terceiro lugar a maior parte dos bons dicionários bíblicos reconhece que o termo igreja não corresponde a nenhum edifício (endereço e horário fixo); ou organização oficial (CNPJ, estatutos, reconhecimento público, etc.). Um deles diz: uma congregação local de cristãos (Dic. da Bíblia - Douglas, Vida Nova). Então o que vale é com quem congrego e não onde e quando congrego.
Minha palavra aos desigrejados: eu entendo vocês. Ainda sou de uma igreja institucional por vários motivos. Mas entendo o peso e tamanho das diversas decepções acumuladas (as carrego comigo). Aos críticos só posso concordar em uma coisa: o movimento das igrejas simples, orgânicas, em casa, no shoping, seja o nome que se der, só perde em valor se aderirem ao pensamento histórico que é nosso (denominacional): se se tornarem sectários também.

Neste casos vocês estarão corretos na crítica. Fora isso não existem desigrejados, existem os que estão sendo deserdados pelos institucionalizados que precisam defender posições - mas isto é assunto para o próximo post.

Graça e paz, sempre (aos irmãos, todos, que amam o Cordeiro e são filhos de Abba, não de placas).

As imagens ilustrativas ajudam a pensar que não temos respostas prontas.

Veja também material interessante sobre o assunto no link deste blog:

http://kasteloforte.blogspot.com/2010/05/porque-nao-vou-mais-igreja.html

14 comentários:

Rogério disse...

Ví seu post no pava e segui até descobrir o seu blog. E o que posso dizer? Parabéns! Percebe-se que vc se preocupa em levar o amor e a paz do evangelho e isso é muito bom!

René disse...

Amado Marcus Vinícius,

Estou aqui por ter considerado coerente o seu comentário no Púlpito Cristão. Mas, agora, vejo que eu estava enganado, pois esta sua postagem mostra que você é, não apenas coerente, mas supercoerente na abordagem sobre esse assunto. Parabéns!

Quem dera que o pessoal do Púlpito lesse e meditasse sobre esta sua postagem. Certamente, o Espírito Santo os levaria a reconsiderar suas opiniões, ou, pelo menos, a parar de postar a série à qual estão se dedicando agora. Muitos estão se decepcionando com eles, o que pode levar a uma reavaliação de tudo o que eles têm postado, pois coloca em xeque a motivação das postagens anteriores.

Gostei muito do seu blog. É mais um que pode ser seguido, para edificação do Corpo de Cristo.

Que a Paz do Senhor Jesus continue com você!

Vania disse...

É Pastor. Imagina se a palavra "desigrejados" pega... colocaram prefixo e sufixo na palavra "igreja", sem que nem mesmo um estudo gramatical fosse feito para que seu significado valorizasse a nossa Língua Portuguesa, até porque ficou uma palavra feia e sem nenhum sentido, sem nenhuma história, a não ser aqueles que querem apenas a Cristo, o que acho ser o normal de um cristão que ama a Deus verdadeiramente e digam não às "Igrejas". Devo esclarecer que é importante um local para congregar e acolher o povo. Temos que lembrar, sem ideologia, "que somos a Igreja de Jesus Cristo". Já escrevi um comentário falando sobre o assunto "preconceito".... é uma discurssão a ser estudada....
Vânia Soares.

wendel bernardes disse...

A igreja é ainda o que Deus quer,(guardadas as devidas proporções) pois eu e você somos a Igreja e não a instituição ou mesmo os prédios, etc,. seja em qualquer lugar, no shopping, na rua, na fazenda ou numa cazinha de sapê... (ops..) ou mesmo dentro de um templo!

Gostei muito do post!
Um abraço!

Marcus Vinicius disse...

Agradeço a todos os que comentaram e peço que me ajudem a divulgar com amor uma postura firme em favor da verdade.

Obrigado, graça e paz, sempre.

Gisèle disse...

É Pastor Marcus, eu nem sabia deste termo "desigrejados" - É horrível!!
Jesus qdo vier buscar a "Igreja" ele não levará o prédio,igreja-denominação e sim pessoas - "A Igreja Invisível" - Esta sim eu escrevo com letra maiúscula, pra diferenciar instituição.
Deus não habita em prédio feitos por mãos ele está dentro daquele que o recebeu como Senhor e Salvador.
Igreja são pessoas, mas se começam a se reunirem com preconceito com aqueles que querem pertencer a uma denominação, já começou a criar uma nova denominação e fundar uma filosofia de vida de acordo com o que eles pensam, e com certeza irá fazer tudo aquilo que ele achava que deveria ser feito na denominação de onde ele saiu,ou seja, criar uma igreja pra ele e não viver em Cristo ,para Cristo e por Cristo em toda a sua plenitude. Tudo é pra ELE!!JESUS!!
Sou filha, Sou Igreja! Vc é Igreja!
E vamos parar com essa bobeira de "desigrejado"- esta palavra não existe nem no dicionário.
Não ir à uma denominação pra bater cartão no domingo, não quer dizer que a esta pessoa esta desviada dos caminhos do Senhor. Esta pessoa tbm foi resgatada, comprada e lavada pelo sangue precioso de Jesus e ELE com certeza não tirou o nome dela do livro da vida , só porque ela não viver mais dentro de uma instituição e não quer mais ter que ficar bancando e sustentando um ministério caro, pois o nível de vida da liderança e de seus familiares é muito alto e os fiéis desta denominação tem que pagar por isso.
Isso é farizaismo! é muito difícil sair deste sisteminha, pois todos te julgam e te condenam e te dão um apelido de "desigrejado". Acham que vc vai pro inferno porque está desviado... e aí vai... Tenho escutado muita abrobrinha a respeito disso.
A palavra de Deus disse que seríamos conhecidos pelo AMOR!
Valew Pr. Marcus,

JP "elMuringón" disse...

I agree!
E uma observação... adorei "Matrix eclesiológica", hahahahaha Demais!
Mt bom msm!
Parabéns pelo post e pelo blog. Persevere!

Hugo disse...

Boa palavra, Marcus...

É irônico que os filhotes desgarrados da "Santa Madre Igreja" de poucos séculos atrás transpirem tanta soberba, encarando qualquer dissidente como desviado, apóstata e desigrejado.

Ao que parece, os reformadores do passado se tornaram a "Santa Madre Igreja" dos dias atuais, "fora da qual não existe igreja".

O desconhecimento/esquecimento da História faz com que vivamos eternamente em um ciclo vicioso.

Adriana disse...

Quero sua permissão para postar este excelente texto em meu blog
Aguardo resposta.

abraço

O Pastor disse...

Tá certo.
Se aigreja somos nós
Não dá pra sair dela, né?
PAz.

René disse...

Amado Marcus Vinícius,

Postei um texto sobre este assunto em meu blog. Caso você queira dar uma lida e permitir que os seus leitores também o vejam, o endereço é este: http://kasteloforte.blogspot.com/2010/05/porque-nao-vou-mais-igreja.html

Também é um texto bastante coerente e, como tal, se afina com o seu.

Que a Paz do Senhor Jesus continue com você, sua família e seus leitores!

Graça Sem Tendas disse...

Espero que eles não cometam a loucura medieval de dizer que:"Fora da Santa Madre Igreja não há salvação!" Pois a escritura declara que é fora de Jesus é que não há salvação!

Graça Sem Tendas disse...

Dá-se a impressão que estão dizendo que: "fora da igreja não há salvação!" Mas a escritura afirma que é fora de Jesus é que não há salvação.

Marcus Vinicius disse...

Olá Graça sem tendas

Com certeza, a impressão que se tem é que a instituição é a única fonte de salvação.

Graça e paz, e obrigado.

Origem dos meus visitantes

Visitantes por países

free counters

FeedBurner FeedCount

LIVROS MARAVILHOSOS (meus preferidos)

  • A Maldição do Cristo Genérico - E. Peterson
  • A Serpente do Paraíso - Lutzer
  • Alma Sobrevivente - P. Yancey
  • Anseio Furioso de Deus - Brennan Manning
  • Chega de Regras - L. Crabb
  • Confiança Cega - B. Manning
  • Evangelho Maltrapilho - B. Maning
  • Igreja Orgânica - N. Cole
  • Maravilhosa Graça - P. Yancey
  • O Anseio Furioso de Deus - B. Manning
  • O Caçador de Pipas
  • O Impostor que Habita em mim - B. Maning
  • Reformissão - M. Driscoll
  • Reimaginando a Igreja - F. Viola
  • Sonhos Despedaçados - L. Crabb
  • Ânimo (Corra com os cavalos) - Eugene Peterson