Frases para pensar


No dia em que eu temer, hei de confiar em ti. Salmos 56:3

sábado, 1 de janeiro de 2011

A Síndrome zumbi. (Por que temos tantos mortos-vivos nas igrejas?)

Assisti com muito interesse aos seis episódios da série The Walking Dead na TV paga, no canal Fox. Sei que alguns supercrentes já irão me condenar só por citar que assisti ao tal seriado.


Mas sugiro que você leia o post até o final e entenda meu ponto em questão aqui: o comportamento das multidões de crentes diante de lideranças que se portam como salvadores da pátria, como neo-messias. Comportamento parecido ao dos mortos-vivos da série em questão.

Resumindo: na série o mundo foi dominado por uma doença que transforma pessoas em zumbis (zombies). Não há uma explicação clara para tal Apocalipse. Mas ele está lá. A maior característica dos zumbis é sua fome inaplacável por carne humana. Eles buscam humanos saudáveis para "morder" e assim tentar aplacar sua fome. O resultado é a transformação destes em novos zumbis.

O herói da série é o oficial Rick, um policial em busca de respostas e de salvar sua família. Juntam-se a ele uma pequena comunidade de sobreviventes que tenta a todo custo manter-se a salvo das "mordidas" infectantes dos zumbis. No meio disso tudo traições, medos, angústias, ausência de respostas e muita fé. Fé na possibilidade do êxito, mesmo que ele pareça improvável.

O que isto tudo tem a ver com a igreja? Se você leu até aqui, continue: creio que a igreja tem sido infectada pelo vírus "zumbi" já há algum tempo. O que este vírus produziu? Crentes esfomeados, uma fome insaciável mas não de Deus, fome de carne humana. Como assim?

A fome dos crentes atuais é por alguma coisa que não é Deus - mas alguma coisa que é produzida, por homens, em nome de Deus. A fome por novidades "espirituais" é imensa: unções diversas (no pé, na unha, na testa, na carteira, no cheque, etc.). Fome por algo que satisfaça a necessidade humana.


Desta forma tais crentes não se cansam de comprar produtos novos. Com fome implacável não se cansam de ir de um a outro lugar atrás de novidades. E os líderes espirituais não se cansam de produzir as novidades. Os congressos, encontros, reuniões diversas. Tudo isto para satisfazer aquilo que Paulo chamou de obras da carne.


Em Walking Dead os sobreviventes vão de um a outro lado, buscando respostas. Vejo-os como os muitos cristãos que estão verdadeiramente em busca de Deus nesses dias. Aqui na Internet ou mesmo nos templos das instituições a que acostumamos chamar de igrejas.


Eles tem fome de Deus. Sua fome não é saciada na carne - nas "mordidas que satisfazem". Muitas vezes é na luta, na batalha, no medo e na noite solitária que encontram Deus. Não através do mercado evangélico, mas de respostas simples e alimento verdadeiramente espiritual. 


Algumas vezes nos sentimos em círculos e sem respostas. Mas continuamos, seguimos em frente. Sem heróis, apenas alguns como nós (Rick) que servem, ajudam e partilham. Walking Dead me ensinou isto: não preciso ser um morto-vivo faminto de "coisas" de deus para saciar minha carne. No caminhar é que verei e serei do Eterno.

Graça e paz, de verdade, sempre. 

16 comentários:

JP Cunha "el Muringón" disse...

Como cristão, como fã de "The Walking Dead" e como muitas vezes "zumbi" (no universo "igreja"), quero dizer que curti demais o texto.
Realmente, essa maneira de manter a chama acesa, de manter o membros da igreja de olhos abertos e não "durmirem" ou mantê-los pelo menos dentro e não fora, criou outro monstro.
Acho q qualquer esforço "made in carne" jamais vai gerar outro resultado, a não ser, a própria carne.
Precisamos de soluções, de produtos "made in Espírito", rsrsrs
Pastorzao... grande abraço!
Arrebentando como sempre!

Marcus Vinicius disse...

Reproduzindo coment´rio recebido via e-mail, de uma grande amiga:

Bom dia pastor, adorei o seu comentário, pois as respostas que precisamos estão em Deus, pois é ele quem nos revela através do Espirito Santo!!! Ele disse: EU VOU PARA O PAI, MAS VOS DEIXAREI O ESPÍRITO SANTO!!!, Ele é que nos dirige, convence do pecado, de algo que vamos fazer e não será bom para nós!! Ele nos incomoda quando vamos fazer ou tomar decisões ou fazer escolhas erradas!! Enfim quando estamos conectados verdadeiramente com Deus, tudo é possível, pois tudo que vem dele é bom, perfeito e agradavel!!! Um grande abraço e que Deus o abençoe sempre!!!!Ana Gerpi

René disse...

Marcus,

O "gancho" que você pegou nesse seriado (que não assisti por falta de acesso, não por crentinice) foi perfeito!

Creio que suas palavras "Muitas vezes é na luta, na batalha, no medo e na noite solitária que encontram Deus" definem bem o cerne da questão e que foi percebido, também, nos dois comentários anteriores: é o Espírito de Cristo que sacia nossa fome por Deus, não religiosidades. E, quando parece estarmos sozinhos, é que Ele age de forma mais contundente, porque Ele trata diretamente conosco, não com nossos fetiches espirituais!

Grande abraço e muita Paz!

Bruno Grunig disse...

Mirou no que viu... e acertou no que viu. Como dizia um personagem da TV, "tirou daqui". Cansei de ver isso na igreja. E fora dela também. É uma busca incessante por algo "mordível". Algo palpável. Querem sentir, ver, apalpar, morder alguma coisa. Não acreditam sem ver, como Jesus disse. Assim como no mundo, sempre haverá quem ofeça o que a maioria quer. Daí os eventos, showzinhos, cai daqui e de lá, "milagres", enfim... carne pra ser mordida. Isca pra (des)crente.

Marcus Vinicius disse...

Reproduzindo o comentário recebido via e-mail do meu amigo Josè Belo, servo de Deus e homem de lutas:

Bom dia querido, como vai? concordo com tudo o que você escreveu e só vejo uma saída: continuar orando e pedindo a Deus que nos mantenha de pé sem se deixar contaminar com tudo o que está acontecendo e temos visto em nossa volta, para que o nosso amor não se esfrie, como diz a Bíblia que no final dos tempos o amor de muitos se esfriaria. Sinto saudades de você! Feliz ano novo!
Graça e paz!

Marcus Vinicius disse...

Reproduzindo mais um comentário recebido por e-mail, de um discípulo amado, Carlos Eduardo Silva:

Muito bom este artigo! Muito bom mesmo. Cabe a nós buscarmos na Palavra o que Deus quer para nós. E sinceramente, percebo que esta busca só nos engrandece dia-a-dia. Fique na Paz do Senhor Jesus. Continue suas reflexões e seus escritos.
Amém!

Vinicius Morais disse...

Marcus, Paz!

Muito legal, contextualização master....rs
Também assisti e gostei muito dessa série.

E vou mais além: os zumbis-gospel estão sempre a doçura de um super líder, alguém que não seja um simples humano. E quando o "encontram" sigam suas energias até que não reste mais nada.

Espero poder fazer parte do pequeno grupo de sobreviventes junto contigo!!

Gde abraço,
Vinicius Morais
----
Refletindo a Graça
http://refletindoagraca.blogspot.com/

ChacaL disse...

Muito bom, gostei do texto. É exatamente o que parece mesmo, as pessoas esquecessem que nenhum ser humano pode dizer quem esta salvo ou não, isso é entre Deus e a Pessoa em questão. Não adinata nadar ir a Igreja Vazio de emoções e sentimentos, esperando que alguem os supra disso. Eu li em um livro muito bacana que dizia; Ninguem pode dizer como ocê deve se sentir ou reagir a determinada circunstancia, isso é pessoal e intransferivel. A mesma coisa deveria ser aplicada ao cristão, não vá a igreja achando que vai conseguir paz e prosperidade na campanha da folhinha do Éden porque se estiver apenas de corpo presente, nada vai adiantar. A fé move montanhas e resssucita os mortos, mas para te-la é preciso muito trabalho e sinto que ninguem quer ter o trabalho, nos dias de hoje, de ter fé. A impressão que dá é que todos (com excessões claro) tratam a igreja como algum tipo de self service espiritual ou delivery, ou seja se a salvação vier embrulhada pra viagem eu pego, pago e vou me embora daqui. Mas essa é minha opinião, posso estar errado sobre o contexto do assunto.

Gaia disse...

Uau!!Perfeito!! O pastor teve uma sacada de mestre que é e muita inspiração de Deus pra escrever este artigo. Foi muito feliz em cada colocação feita. O mercado evangélico está cheio de sofismas que deixa o crente cada vez mais seco. Abração Pastor Marcus - Feliz 2011 cheio de Realizações na sua vida. bjs

Marcus Vinicius disse...

Olha Chacal, você entendeu perfeitamente o contexto da mensagem. Nada de sequidão em busca de resultado.

Mas de fome verdadeira em busca da fonte (lembra de Lost?).

Graça e paz, sempre.

Moyses Alexandre de Godoi disse...

Graça e Paz...

Uma ótima analogia, realmente é como se fosse um vírus!

E as ofertas e meios de receber os "produtos" são tantos e tão atrativos que esse "mercado" certamente é o que mais cresce, infelizmente...

Resta-nos orar e buscar continuamente o alimento para a alma, direto na fonte, a Palavra de Deus.

Estou te seguindo para estar atualizado com suas postagens e voltar com mais tempo para "fuçar" mais seu blog,

Forte abraço...

Moyses Alexandre de Godoi disse...

Ehhhhh...

O comentário desse post, por falta de atenção minha foi parar na outra postagem, a 2011 está chegando!

Mas está valendo rsrsrs...

Wendel Bernardes disse...

Eu creio que existe um fator que pode continuar fazendo mais zumbis góspeis.

Acho que vem de uma nuvem chamada apostasia. Nada haver com aquela nuvem onde Deus guiava o povo no deserto e também nada haver com aquela que surgia junto dos raios e trovões quendo Jeová se manifestava a Moisés, ou ao povo (indiretamente).


Essa nuvem (que pode ser aquela que aparecia noutro bom seriado - Lost) vem arrastando após sí um secto de seguidores do pseudo-deus-marcantilísitico-gospel. Ela vem trazendo um brilho de novidades sem-par. Um parceladinho de unção daqui, uma franquia de evangelho dali e o que sobra são os zumbis citados. Gente mais morta que viva. Que mesmo sem saber, segue um deus criado a imagem e semelhança do homem!

Curti muito o texto, dei uma sumida pois estava sem pc, só pude remontá-lo para voltar a net ontem...

Grande abraço, tô contigo meu velho...


P.S. - Fico muito feliz em ver bons amigos aqui como René, Vini, Moysés... é a cristandade se unindo independente da "igreja", entende?

Paz!

Vânia Soares disse...

“Conheço o seriado e assisti a um filme dessa natureza, mas há algum bom tempo, entretanto não posso deixar de dar meu “pitaco” quanto a natureza humana no sentido de buscar as coisas de necessidades para sobrevivência nesse mundo, o que necessitamos também. Deus realiza para nós momentos de provações e nós achando que são provações para “sofrimentos”. Na verdade aprender não custa nada! Dizemos a palavra “provações” para q se nela tenha uma justificativa para nossos momentos difíceis nos achando num deserto, sozinho e sem nenhuma saída para nossas dificuldades, somos vítimas de nossas próprias decisões. Aprendemos a comer “carne humana” desde que nascemos, mesmo em berço cristão ou não, a forma que temos de nos defender desses “zumbis”é buscar a Deus, ler a Bíblia, abri-la num momento oportuno dizendo “que palavra Deus para mim hoje?”, é essa a fórmula que nos direciona a Deus? ou a busca insensata de resolver nossas dificuldades brincando de abrir e fechar a Palavra Divina? Vivemos à busca de respostas às nossas necessidades tratando Deus como nosso “resolvedor” de problemas e não aprendendo verdadeiramente ouvindo sua voz, nos fazendo de cegos, surdos e mudos dentro de nós mesmos no fechando numa “concha” de uma forma nítida aos nossos olhos, mas q não enxergamos em Deus e sim nos homens do altar que valorizamos como seres “não-zumbis”.
Pasto, Exelente texto
Um Grande Abraço.

Hermes C. Fernandes disse...

Lendo seu texto, lembrei do que Paulo escreveu aos Gálatas:

"Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede não vos consumais também uns aos outros" (Gl.5:15).

Pelo jeito, esta 'zumbização' da igreja não é um fenômeno recente. Talvez a igreja da Galácia tenha sido uma das primeiras a serm 'zumbificadas'.

Que o Espírito da Graça nos conceda força para romper com este ciclo maldito.

Abraço, Pr. Marcus Vinícius. É sempre gratificante passar por aqui.

Bruno Tavares disse...

No fim das contas, só os remanescentes ficarão, exatamente como no seriado, que também acompanho. É doído demais ver o que estão fazendo com os perdidos, que deveriam ser a Noiva de Cristo. E ainda tem gente que achar que devemos nos calar, porque "se" esses líderes estiverem fazendo algo de errado, irão prestar contas. Mas o fruto se conhece pela árvore. E o joio já está aparecendo no meio do trigo há muito tempo. Só não vê quem não quer... Lastimável.

Origem dos meus visitantes

Visitantes por países

free counters

FeedBurner FeedCount

LIVROS MARAVILHOSOS (meus preferidos)

  • A Maldição do Cristo Genérico - E. Peterson
  • A Serpente do Paraíso - Lutzer
  • Alma Sobrevivente - P. Yancey
  • Anseio Furioso de Deus - Brennan Manning
  • Chega de Regras - L. Crabb
  • Confiança Cega - B. Manning
  • Evangelho Maltrapilho - B. Maning
  • Igreja Orgânica - N. Cole
  • Maravilhosa Graça - P. Yancey
  • O Anseio Furioso de Deus - B. Manning
  • O Caçador de Pipas
  • O Impostor que Habita em mim - B. Maning
  • Reformissão - M. Driscoll
  • Reimaginando a Igreja - F. Viola
  • Sonhos Despedaçados - L. Crabb
  • Ânimo (Corra com os cavalos) - Eugene Peterson