Frases para pensar


No dia em que eu temer, hei de confiar em ti. Salmos 56:3

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

O Livro de Eli e a jornada em busca de si mesmo

Demorei mais assisti ao filme "O Livro de Eli". É um filme intenso e muito interessante. Sem sombra de dúvida é uma plataforma para o astro norte -americano Denzel Washington exercer parte de sua fé.

Sempre é bom lembrar que Denzel carrega até hoje um pequeno pedaço de papel onde tem escrito as palavras que uma profetisa disse a ele quando jovem. O texto diz mais ou menos que ele falaria a multidões. O astro, filho de um pastor pentecostal, chegou a acreditar que poderia ser um pastor. Mas no fim das contas descobriu que sua vocação para falar estava no drama, na encenação, no cinema.


Em o "Livro de Eli", ele junta as duas coisas: pregação e dramatização da verdade. O filme é bem filmado, bem sonorizado e conta uma história interessante: num mundo pós destruição (provavelmente nuclear), pessoas se tornaram canibais e enlouqueceram. Comunidades inteiras sobrevivem do roubo e da morte. A visão é de um deserto sem fim e sem cor.

Eli anda por este cenário com uma mochila, algumas armas e um segredo: ele carrega a última bíblia existente sobre a face da terra. Ele defende sua vida e seu livro com todas as forças. Até que encontra o xerife de uma cidade perdida, que resolve tomar posse do livro à força, para assim controlar as pessoas à sua volta, dando-lhes as palavras que poderiam devolver esperança. Na verdade o tal xerife só quer manipular as pessoas a seu favor.

Eli não aceita, segue seu rumo em direção ao oeste (o sol, a luz?). Ele espera encontrar lá um lugar onde o livro ficaria protegido e preservado. Em João 17.17 lemos: santifica-os na tua palavra, a tua palavra é a verdade. Os atos de Eli são marcados por brutalidade e dor, mas instintivamente ele sabe que sua vida é purificada pelo livro que carrega.
João 4.41 é o fecho perfeito para o filme: muitos mais creram, por causa da palavra. Eli perde o livro, escrito em braile, mas não perde a palavra, gravada em sua memória. Dessa forma muitos ainda irão crer e receber a Palavra.
Uma bela metáfora para nosso tempo, onde crer parece ter se tornado um anacronismo e pregar parece algo fora de moda. Denzel prega em seu filme que é possível preservar a fé guardada profundamente em nosso interior. E como ensina o apóstolo Pedro, ter sempre como responder aos que indagam aquilo em que cremos.

Em verdade, em verdade vos digo que, se alguém guardar a minha palavra, nunca verá a morte (João 8.51): Eli morreu ou não ao final do filme? Não sabemos, mas com certeza ele combateu o bom combate e preservou sua fé.

5 comentários:

Gaia disse...

Estamos num futuro pós apocalíptico onde a Terra fora devastada e restam poucos por aí para contar história. Ok, até aí existem dúzias de filmes com esse enredo, de Mad Max a Matrix. E o que torna o Livro de Eli diferente? Várias coisas.O bom Denzel, o ator dá uma dignidade incrível a Eli, conseguindo transmitir ao público a fé no papel de um cara que está perambulando há 30 invernos, vendo dia após dia desolação e anarquia. O cenário por onde passa mostra a devastação possivelmente causada por uma guerra. Não existem meios de comunicação, locomoção precária, canibalismos e água potável vale ouro. Aliás, não existe moeda. Voltamos ao tempo do escambo e para conseguir algo, só na base da troca. Qualquer coisa pode ter seu valor.
Enquanto o prefeito quer ter poder, pegando a qualquer custo, o livro para usar a religião para manipular as poucas pessoas que restaram ali.
Eli guarda a fé até o fim e é canal para que a Palavra de Deus não se perca, e no fim do filme, com sua vestes brancas e com a cabeça raspada e o corpo limpo mostrando que apessar de tudo que passou ele não se contaminou e qdo ele começa a ditar e fala o primeiro versículo da Bíblia eu não consegui segurar as lágrimas, porque mesmo no caos existe um início em Deus,
Eli é cego… notem que ele diz que ouviu uma voz para que cumprisse a missão. Realmente ele sabe ler, mas só em braile e mesmo sem "O Livro" Eli guardou a Palavra e ela foi sempre o seu Norte.
Esse filme é Show!!!! um Cult

Família Bernardes disse...

Bom, estou sem fala... devo vê-lo o mais rápido possível!
Paz pr. Marcus!

Dieferson disse...

Eu assisti a esse filme e achei o máximo!!!O ator Denzel Washington,em seu papel no filme, defende a palavra de Deus a qualquer custo e é o que devemos fazer, mesmo se todos estiverem contra nós!!!

Abraço fique na paz!

Anônimo disse...

Eu sei responder,é pke é complexo
ñ é ke Eli morre ele viverá eternamente(claro na historia)
pois quando Jesus voltasse ele viveria eternamente no paraiso
Isso explika esse verciculo.
meu e-mail
thiagohto_rp@hotmail.com

Marcus Vinicius disse...

Com certeza Thiago, ele escolheu viver pela palavra, que ornou sua vida, coração e decisões. E sendo assim, certamente estaria com Cristo no final de tudo.

Fica na Graça e na paz, sempre. E seja bem vindo ao blog.

Origem dos meus visitantes

Visitantes por países

free counters

FeedBurner FeedCount

LIVROS MARAVILHOSOS (meus preferidos)

  • A Maldição do Cristo Genérico - E. Peterson
  • A Serpente do Paraíso - Lutzer
  • Alma Sobrevivente - P. Yancey
  • Anseio Furioso de Deus - Brennan Manning
  • Chega de Regras - L. Crabb
  • Confiança Cega - B. Manning
  • Evangelho Maltrapilho - B. Maning
  • Igreja Orgânica - N. Cole
  • Maravilhosa Graça - P. Yancey
  • O Anseio Furioso de Deus - B. Manning
  • O Caçador de Pipas
  • O Impostor que Habita em mim - B. Maning
  • Reformissão - M. Driscoll
  • Reimaginando a Igreja - F. Viola
  • Sonhos Despedaçados - L. Crabb
  • Ânimo (Corra com os cavalos) - Eugene Peterson