Frases para pensar


No dia em que eu temer, hei de confiar em ti. Salmos 56:3

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

PRIMEIRO AMOR

Estou relendo a carta que o Espírito envia a Igreja de Éfeso, no livro do Apocalipse (cap. 2). E lá encontro uma expressão: trabalhaste pelo meu nome, e não te cansaste (v.2). Este texto me intriga e alegra. Surpreende e dá descanso. E por que?

Porque há momentos de extremo cansaço em minha jornada na igreja. Muito cansaço mesmo. E penso que uma das chaves para entender tal exaustão é exatamente este versículo: trabalhaste para meu nome. O cansaço vem quando trabalhamos para outro nome, para outra pessoa, para outro contexto que não o nome precioso do Cordeiro.

Uma outra qualidade da Igreja de Éfeso é sua paciência. Cristãos modernos vivem impacientes. Vivem desgastados, vivem amargurados contra seus irmãos, suas tarefas ministeriais e até contra seu Deus. A paciência é fruto do Espírito, é fruto da vida dinâmica que se relaciona com a eternidade, que descansa e espera na eternidade. Mas a dualidade se instala e a paciência se esvai, escoa pelo ralo das necessidades estruturais, das dinâmicas materiais e do medo de se perder na nuvem do Espírito.

A impaciência aparece como fruto da urgência de se resolver coisas na igreja que só o Espírito pode resolver, só o Cristo pode tratar e eu e você e nós insistimos em tomar seu lugar. Então o Apocalipse nos revela um mistério: alguém que é elogiado por seu fruto, perde a conexão com a fonte do fruto.

Perdeste o primeiro amor - deixastes de ser paciente, de trabalhar em meu nome, de descansar e de entender que todas as coisas cooperam para o bem. O Espírito do Cordeiro insiste que João escreva um chamado: lembra-te de onde caíste, lembra-te. E na minha conclusão livre desse alerta profético caímos quando deixamos para trás o trabalho simples em favor do Nome e trabalhamos elaboradamente e de forma custosa em favor de nomes (homens, coisas, desejos, tantos nomes).

Caímos. E caímos. E precisamos nos lembrar do local da queda. Talvez fosse bom um anjo marcar a junta de nossa coxa e nos fazer mancar, exatamente lá onde caímos. Porque não podemos (eu não posso) mais continuar a nos sentir cansados porque servimos ao Rei. Algo está errado.

Eu quero voltar ao início e entender como é simples servir a Jesus. Chega de me cansar numa vida sem amor genuíno. Clamo a Glória Dele se revelando em mim.

(continuo essa reflexão amanhã)

2 comentários:

Paulo Almeida disse...

Pastor,

Quando paramos para meditar, vemos que muitas das nossas ações não levam a lugar nenhum, ou melhor, levam a um desanimo e cansaço tão bem descrito em suas palavras.

Que verdadeiramente possamos voltar ao primeiro amor onde buscamos levar acima de tudo a palavra de Deus para aqueles que necessitam ouvir, ou seja, todos.

Que verdadeiramente possamos acima de tudo dispor, cada vez mais, de tempo dedicado a falar sobre aquele que nos abençoa diariamente.

Agradeço a Deus por colocar pensamentos que se transformam em palavras e nos fazem refletir.

Paulo Almeida

carolina disse...

dPastor, por coincidência divina estava pensando sobre isso hoje. Se Deus chama as pessoas quando elas estão trabalhando, porque elas não se sobrecarregam? Porque foi Deus quem chamou, é propósito Dele para nossas vidas. Quando queremos fazer o que Deus não mandou aí fica pesado...e essa questão do propósito é personalizada por Deus para cada um, por isso ele deu os dons...´(aí já é outro papo). Enfim, confesso que tenho que ter mais paciência com as coisas de Deus.
Adorei compartilhar essa palavra, abraços, Carolina Ramthun.

Origem dos meus visitantes

Visitantes por países

free counters

FeedBurner FeedCount

LIVROS MARAVILHOSOS (meus preferidos)

  • A Maldição do Cristo Genérico - E. Peterson
  • A Serpente do Paraíso - Lutzer
  • Alma Sobrevivente - P. Yancey
  • Anseio Furioso de Deus - Brennan Manning
  • Chega de Regras - L. Crabb
  • Confiança Cega - B. Manning
  • Evangelho Maltrapilho - B. Maning
  • Igreja Orgânica - N. Cole
  • Maravilhosa Graça - P. Yancey
  • O Anseio Furioso de Deus - B. Manning
  • O Caçador de Pipas
  • O Impostor que Habita em mim - B. Maning
  • Reformissão - M. Driscoll
  • Reimaginando a Igreja - F. Viola
  • Sonhos Despedaçados - L. Crabb
  • Ânimo (Corra com os cavalos) - Eugene Peterson