Frases para pensar


No dia em que eu temer, hei de confiar em ti. Salmos 56:3

terça-feira, 21 de setembro de 2010

A novela Passione e os seres humanos da vida real


Os personagens da novela Passione são arremedos de pessoas. Caricaturas de humanos, sentimentos distorcidos, manias as mais esquisitas. Certo é que existem aqueles que parecem normais: o jovem personagem do ator Kaiky Brito (Sinval), de uma ternura e humanidade realmente verdadeiras; Beth Gouvêa (Fernanda Montenegro) que dosa fortaleza e fraqueza na medida certa; e um ou outro personagem menor.

No mais um desfile de tipos que carregam o pior das pessoas: filhos que traem os pais; pessoas que falam aos gritos; mulheres que devoram homens sexualmente; atletas viciados em drogas; garota de programa que se desculpa na tragédia pessoal; canalhas que roubam e sempre se dão bem; homens que querem duas mulheres e tentam nos fazer sentir pena.

No que pensei ao escrever esta crônica? Naquilo que muitos insistem em afirmar: que a mídia segue um padrão de apresentação do mal com uma tentativa clara de desestabilizar a moral, os bons costumes, a família e etc. Não gosto muito de teorias da conspiração. Mas sem sombra de dúvidas a mensagem transmitida pela dramaturgia televisiva é destrutiva, sob alguns aspectos.



Não sei se Passione ou qualquer outra obra da televisão é criada especificamente com a intenção de destruir os valores morais da família. Mas certamente pode-se perceber uma tentativa de conferir certa normalidade a atos que em geral não são os atos da média das pessoas. Existem pessoas complicadas e complexas no mundo, isto é certo. Mas transformar problemas complexos e desvios comportamentais em normalidade é algo diferente.

Passione é um exemplo claro desta tentativa – gente que se esqueceu de valores reais e importantes, sendo transformada em herói. Inclusive é o que se avizinha com a personagem Clara (Mariana Ximenes): sua busca por redenção é uma tentativa de apagar seu caráter distorcido? Isto não é impossível, mas pelo motivo correto: arrependimento. Esperemos para ver o que o autor irá fazer e não nos calemos diante do mal.

Lembre-se da oração do mestre: “Não nos deixe cair em tentação, mas livra-nos do mal”.

Graça e paz, sempre.

2 comentários:

Família Bernardes disse...

Vivemos num momento em que parece difícil pensar...
Somos acometidos de uma pseuda inteligência gerada pelos meios de comunicação. Acreditamos piamante no que os jornais dizem (e suas pesquisas encomendadas), compramos tudo que aparece nos programas de tv e assimilamos como útil em nosso dia a dia, votamos em quem vai bem nas pesquisas 'só pra não perder o nosso voto afinal aquele candidato vai ganhar mesmo, né?'

As novelas norteiam a vida da sociedade fulgaz e tola. Não me espanta, pastor, se não nos contentarmos em 'somente assistir' aos episódios e nos chocarmos com uma coisa ou outra pra simplesmente vivenciarmos aquela vida inventada numa vida verdadeira... ou será vida reinventada já que estamos copiando aquilo que um autor escreveu?

O pior é que isso nos sufoca tanto que não temos tempo de copiar a quem realmante se deve: A JESUS, POR EXEMPLO!

Ótima matéria como sempre, refletir é bom, pensar faz parte!

Grande abraço.
-----------------------------------
www.wendelbernardes.blogspot.com

Marcus Vinicius disse...

Wendel, parece que a única Paixão nessa novela é a paixão pela mentira.

Todos mentem, e tudo é resolvido através da mentira. Triste ver que um autor gaste tanta energia intelectual para promover isto.

Origem dos meus visitantes

Visitantes por países

free counters

FeedBurner FeedCount

LIVROS MARAVILHOSOS (meus preferidos)

  • A Maldição do Cristo Genérico - E. Peterson
  • A Serpente do Paraíso - Lutzer
  • Alma Sobrevivente - P. Yancey
  • Anseio Furioso de Deus - Brennan Manning
  • Chega de Regras - L. Crabb
  • Confiança Cega - B. Manning
  • Evangelho Maltrapilho - B. Maning
  • Igreja Orgânica - N. Cole
  • Maravilhosa Graça - P. Yancey
  • O Anseio Furioso de Deus - B. Manning
  • O Caçador de Pipas
  • O Impostor que Habita em mim - B. Maning
  • Reformissão - M. Driscoll
  • Reimaginando a Igreja - F. Viola
  • Sonhos Despedaçados - L. Crabb
  • Ânimo (Corra com os cavalos) - Eugene Peterson